terça-feira, 12 de novembro de 2013

bendito fruto entre NYC & SP

por um mundo de diclofenacos livres. de cafés genuínos a invadir palatos, linguagens e residências inteiras. de liberdade para transitar com iPads, iPhones, (Yes, I’m free!), equipamentos de ponta em geral, eu, correndo pelos jardins verdejantes de biquíni e patins, sem que haja a possibilidade iminente de estupros ou de abordagens e aborrecimentos quaisquer além de esquilos a cruzarem o meu caminho. de conversas fáceis e Wi-Fi pela telinha com alguém que se encontra do outro lado da mesa ou do mundo. de atendimentos feitos por atendentes. de atendimentos feitos por atendentes que gostam de gente. de luminosos que brilhem do lado de fora e de dentro das coisas. de gorjetas não muito gordas, mas simples, justas. de gays que não surjam de um buraco aberto no asfalto, apenas no dia da parada gay. de uma culinária mais para mediterrânea e não exclusiva de itens alaranjados e vermelhos não-identificáveis. de uma climatização mais equilibrada entre ambientes fechados e abertos, que não favoreça o choque térmico nos corpos. de menos vírus e consultas médicas a preços exorbitantes. de cultura livre e desimpedida, a preços moderados ou com acesso gratuito. de pessoas absolutamente capazes de se respeitar em suas milhares de matizes étnicas, sentadas lado a lado no banco do metrô ou de um cine privê sem que haja olhos de reprovação. de idosos emancipados que não sofram da vitimização cristã. por menos consumo de itens e por muito mais sentido. eu, como num sonho.

2 comentários:

  1. Viva ! Cristina Judar para presidente ! :) [Texto sensacional, que capta esse desejo tão genuíno, de tantos. Penso muito sobre essas coisas por aqui. Há toda essa liberdade aqui, e um pouco mais. Só que falta calor humano, tantas vezes... Um desses tantos temas pros nossos debates futuros, e o futuro já está chegando.]

    ResponderExcluir
  2. Hahaha! E esse futuro que não chega!! :) Mil e uma coisas para debater... beijões, Fabi!!

    ResponderExcluir