sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

mais um texto iniciado com: foda-se

Foda-se a temperança. Os que dizem “eu gostaria, mas não deu”. As tatuagens extremamente no lugar. As tatuagens feitas em um estúdio mais barato e que ficaram horrorosas. As camisetas regata que exibem essas tatuagens. Os cumprimentos. Aqueles que veem, mas fazem cara de quem não vê.  A cara institucionalizada do bullying (colaboração de Eder Veiga). Os sem cara. Os que começam dizendo “cara...” e não terminam a frase dizendo algo inteligente. Os que dançam dancinhas e espiam de lado para ver se tem alguém olhando. Os que dão risadinhas e espiam de lado para ver se tem alguém olhando. Os que dão olhadinhas e espiam de lado para ver se tem alguém olhando. Quem diz que não pode fazer nada e vai dormir com o ouro encerrado em dedos de galhos. Os que respondem monossilabicamente. Os que ficaram com os lábios rasos de tanto responderem monossilabicamente. Os que ficaram rasos de tanto ocultarem sentimentos monossilábicos. Os que são rasos e fazem cara de profundos. E enganam os outros, que realmente acreditam que eles são profundos. Os que só caminham pelo chão. Os que pagam prestações para ter aquela TV em 3D com óculos. Os que esticam as mãos para pegar o hamburguinho que saiu voando pela sala por causa dos óculos 3D. Os que são uma tentativa.

Vão se foder, todos. Ser humano dá trabalho.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário